Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Costa do Marfim: Hillary Clinton visitará este país na próxima semana.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O Secretário de Estado Hillary Clinton, fará no início da próxima semana uma visita a quatro terras Africanas das quais a Costa do Marfim, seu primeiro desde o final de problemas neste país, informou nesta sexta-feira o departamento de Estados Unidos.

Clinton se reunirá com o presidente da Costa do Marfim Alassane Ouattara para "mostrar o apoio do governo americano  à reconciliação nacional ", na sequência das eleições parlamentares em dezembro, disse diplomata dos EUA em um comunicado.

Regime Ouattara foi instalado após a crise pós-eleitoral em dezembro de 2010-Abril de 2011, que terminou com confrontos de duas semanas e deixou cerca de 3.000 mortos.

Ela vai viajar para Monróvia, por ocasião da  investidura da presidente Ellen Johnson Sirleaf para um novo mandato como chefe da Libéria.

Ela também vai visitar Togo e Cabo Verde.

Tourné da Senhora Clinton visa um "show` de  compromisso dos EUA com um retorno à paz após o conflito, a boa governação, desenvolvimento económico, bem como para enfatizar a importância para os Estados Unidos (processos) de democratização ", disse o comunicado.

Clinton será o primeiro chefe da diplomacia dos EUA a visitar Togo, onde ela vai encontrar com o presidente Faure Gnassingbe "para mostrar o apoio dos Estados Unidos pelo progresso democrático e de reformas económicas," concluiu o documento.

Em Cabo Verde, Clinton se reunirá com o primeiro-ministro José Maria Neves sobre a cooperação regional em questões como a luta contra o tráfico de drogas e boa governação, disse o comunicado.



fonte: Abidjan.net

Angola: Rivaldo assinou contrato com o Kabuscorp.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


image Crédito: AP
Não restam dúvidas. Rivaldo já é jogador do Kabuscorp, vice-campeão do último Girabola. O jogador brasileiro, que recebeu a Bola de Ouro em 1999, assinou contrato esta sexta-feira em Luanda.
O avançado brasileiro Rivaldo, campeão do mundo em 2002, assinou hoje em Luanda um contrato de um ano com o Kabuscorp, vice-campeão de Angola de futebol.Rivaldo, que vai envergar a camisola com o número nove, garantiu que a opção pelo campeonato angolano não se deveu a contrapartidas financeiras, alegando que recebeu propostas melhores, mas sim ao facto de Angola ter o português como língua oficial. "Venho com a minha esposa e filhos e uma decisão destas não depende só de mim. Recebi propostas do Brasil e Índia, financeiramente melhores, mas optei por Angola por falar o mesmo idioma que a minha família e também porque Deus me colocou aqui", frisou o jogador. 
Já esta quinta-feira o jogador confirma as negociações com o clube angolano: “Vi que saíram notícias nos media de que teria acertado com uma equipa de Angola. Na realidade estamos a negociar”, esclareceu o médio brasileiro, eleito melhor jogador do Mundo em 1999.
O presidente do Kabuscorp, clube angolano vice-campeão do último Girabola,Bento Kangamba, revelou à Bola estar empenhado na contratação de Rivaldo, mesmo tendo em conta a idade avançada do jogador.
A caminho dos 40 anos, Rivaldo terminou contrato com o São Paulo e demonstrou vontade de continuar a jogar, tendo aparecido o empresário Bento Kangamba na corrida.
“Todos os clubes angolanos se estão a reforçar, não poderíamos ficar atrás. Surgiu esta oportunidade de contratarmos o Rivaldo e estamos empenhados nisso”, disse Bento Kangamba.
“Falam muito da idade, mas um jogador com a qualidade e experiência de Rivaldo tem ainda muito a dar ao futebol e, esperamos, a Angola”, frisou o presidente do Kabuscorp.
Sobre o jogadorPerto de completar 40 anos, Rivaldo passou por clubes como Barcelona e Milan, tendo ganho todos os troféus a nível de clubes.
No Brasil, venceu a Copa América em 1999 e o Campeonato do Mundo em 2002
A nível individual recebeu a Bola de Ouro em 1999.
Fonte: A Bola/Lusa

Senegal: Extradição do ex-ditador do Chade Hissène Habré.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
 

Após  o quarto apelo da Bélgica, Senegal recusa a extradição do ex-ditador do Chade Hissène Habré.

 Senegal decidiu não extraditar Hissène Habré, o ex-ditador do Chade, que é acusado de milhares de assassinatos políticos e de tortura em massa, de acordo com um comunicado divulgado hoje pela Human Rights Watch.
A declaração instada pela justiça do Senegal  parece"esgotada", depois de se recusar o quarto pedido da Bélgica para a extradição, dizendo que os documentos não estavam em ordem.
"É hora de o governo senegalês parar de jogar jogos e enviar Hissène Habré para a Bélgica para enfrentar o julgamento", disse Jacqueline Moudeïna , um advogado da Human Rights Watch, em comunicado. "Vítimas de Habré estão lutando por justiça há 21 anos e todos eles não têm obtido a partir de Senegal é o uma resposta".
Mais de GlobalPost: Solicitação a justiça no Senegal
Apelidado de "Pinochet da África" ​​por organizações de direitos humanos, Habré, 69 anos, foi presidente do Chade 1982-1990, depois de tomar o poder de um líder eleito, de acordo com um perfil de BBC sobre o ex-ditador . Chad estava então no auge de um conflito com a Líbia, e acredita-se que Habré teve o apoio de os EUA, como um contraponto à Muammar Gaddafi.
Dois anos depois que ele foi deposto, uma comissão da verdade no Chade declarou que Habré foi responsável por 40 mil assassinatos políticos e tortura generalizada, de acordo com a Agence France Presse . Em 2008, ele foi condenado à morte por um tribunal do Chade por tentar derrubar o governo.
A União Africana, as Nações Unidas e a Anistia Internacional instaram por diversas vezes para tentar extrair Habré do Senegal ou extraditá-lo para um outro país, de acordo com a Anistia Internacional .
Habré foi preso há seis anos após a Bélgica indiciá-lo sob uma lei que permite que a jurisdição universal de Bruxelas julgue os crimes de direitos humanos cometidas em qualquer país. Habré permanece no Senegal, e o tribunal tem repetidamente recusado a sua extradição, alegando a papelada com defeito.
Related: Senegal evita julgamento de direitos humanos.
Lista de anistia de acusações é longa, representando um líder bárbaro com um aparato de segurança aterrorizante. A organização acusa o regime de torturar dissidentes com choques elétricos, queimaduras de cigarro e tubos de escape na boca forçando prisioneiros antes da partida de veículos, de acordo com a BBC.
Um relatório de 2001 da Anistia cita presidente do Senegal, Abdoulaye Wade dizendo que ele estava pronto para extraditar Habré, uma visão que ele ainda mantém publicamente:
"Eu estava pronto para enviar Hissein Habré para qualquer lugar, inclusive para seu próprio país, Chade, mas Kofi Annan interveio e pediu-me para manter Hissein Habré no meu país, até que ele possa ser levado à justiça de outro país. Tenho concordado com esta decisão, mas não quero que esta situação se arraste. Senegal não tem nem competência, nem os recursos para julgá-lo."
 fonte: Global Post

Total de visualizações de página