Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Guiné-Conacri: Sidya Toure sobre sua ausência a um comício da oposição.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Na semana passada, a oposição republicana guineenses  realizou um importante meeting na esplanada do estádio 28 de setembro. Os presidentes dos partidos da oposição realizaram um meeting para denunciar '' em pleno e para o conhecimento "de seus militantes e populações, sobre problemas sócio-políticos que atualmente afligem a Guiné. Mas, constatou-se que, o Sr. Sidya Touré, líder da União das Forças Republicanas (UFR), não tinha tomado parte no jogo.



O chefe da UFR explicou em uma entrevista nesta segunda-feira, 12 de janeiro de 2015 em uma rádio privada 'Space Fm', as razões de sua ausência, de acordo com ele, foi para apoiar os seus militantes para que viessem em massa para esse comício. "Apesar da minha ausência, este comício gigante teve lugar em condições aceitáveis, mas temos de admitir que os velhos hábitos ressurgiram novamente no eixo de Cosa-Bambéto-Hamdallaye. Devemos entender que as autoridades compreenderam que manifestar é um direito constitucional de todos os cidadãos guineenses! "Ele declarou. Ele precisou também, que ele precisava descansar, ele deveria estar com a sua família em Boke.

Em relação ao caso dos gendarmes feridos por balas nesse comício, de acordo com uma fonte do Alto Comando da Gendarmaria, Sidya Touré respondeu que ele iria abrir uma investigação independente para apurar responsabilidades. Para ele, não é possível que se diga que militante da oposição é permitido o uso de uma arma de fogo para disparar à queima-roupa contra um agente da polícia. E ele também observou que, durante o mesmo comício, muitos militantes da oposição também foram feridos por tiros. Assim, em sua opinião, o Estado deve permitir que essas vítimas falem também a mídia pública para dar mais informações. '

Referindo-se à gestão de Ebola na Guiné, Sidya Touré disse que, se a epidemia ainda continua em nosso país, é simplesmente porque a política de comunicação e sensibilização das autoridades de saúde encarregadas de erradicar este flagelo na Guiné não chegou a atingir o alvo que é o povo guineense.

Respondendo à constatação do ministro Mohamed Diare sobre a greve por tempo indeterminado empreendido pelos seis sindicatos, ele disse: '' nossa economia está em um quadro-negro '' Sidya deixou claro que o Estado não pode esperar que o movimento de sindicatos possa dizer que a economia guineense não esta, no momento certo. Ele está convencido e diz que "esta economia nunca teve uma política estável,desde ascensão do Prof. Alpha Condé ao poder! »

Para lembrar que a oposição guineense não tem intenção de parar suas manifestações políticas até que o governo do Prof. Alpha Condé vá abrir as portas do diálogo para discutir os problemas políticos espinhosos que o país enfrenta, incluindo a organização de eleições locais e o estabelecimento de INEC digno de seu nome.

Por Leon KOLIE GCI

# 2015 Guineeonakry.info

Gâmbia: Jammeh mantém conversações com o enviado especial do Marrocos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



O líder gambiano, Sua Excelência Sheikh Professor Dr. Alhaji Yahya Jammeh recebeu no domingo à tarde em audiência o enviado especial do Rei de Marrocos, em seu escritório no Palácio Presidencial, em Banjul.

O enviado Especial Fassi Fihri, também um assessor especial do rei marroquino, estava acompanhado na presidência pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Gâmbia, Neneh MacDouall-Gaye.

Falando a jornalistas no final da sua reunião a portas fechadas com o chefe de Estado, o emissário marroquino disse que estava em Banjul para transmitir uma mensagem de boa vontade e de solidariedade do Rei de Marrocos a seu irmão, o presidente Jammeh.

"Eu tive o privilégio de ser recebido por Sua Excelência o Presidente e transmitir-lhe a mensagem de boa vontade de Sua Majestade em solidariedade", disse à imprensa o emissário do corpo do Palácio Presidencial.

O chefe da diplomacia marroquina informou que os dois líderes renovaram o seu compromisso de continuar trabalhando juntos para o benefício da cooperação entre as duas nações e seus povos.

"Sua Majestade ainda se lembra de sua visita oficial à Gâmbia e todos os planos que eles [os dois líderes] tinham decidido juntos durante essa visita e que serão implementados. O Marrocos também está pronto para continuar a partilhar a sua experiência humilde com a Gâmbia, nas áreas de economia, agricultura e energia ", concluiu.


Autor: Musa Ndow

# Daly Observer

Guiné-Bissau assina protocolo sobre crianças em conflitos armados.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Bandeira da Guiné-Bissau

País é um dos três novos a assinar documento, além de Gana e República Dominicana; a Comité sobre os Direitos da Criança abriu sua 68ª sessão nesta segunda-feira.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Guiné-Bissau é um dos três países que ratificou o protocolo opcional à Convenção sobre os Direitos da Criança sobre o envolvimento de crianças em conflito armado.
Os outros dois países são Gana e República Dominicana, levando o total de ratificações a 159. O Comité sobre os Direitos da Criança abriu a sua 68ª sessão nesta segunda-feira.

2014
O diretor da Divisão de Tratados de Direitos Humanos, do Escritório do Alto Comissário para Direitos Humanos, e representante do secretário-geral, Ibrahim Salama, fez o discurso de abertura e lembrou as conquistas do Comité em 2014.
Além de violações crónicas e estruturais dos direitos das crianças, em 2014 o mundo foi "testemunha" de "atrocidades chocantes" contra crianças, incluindo o massacre de 136 numa escola em Peshawar no Paquistão e possivelmente centenas de outras mortas em ataques a escolas na Nigéria e na Síria.
Salama afirmou que uma das prioridades do Escritório será apoiar cada Comité a reduzir o acúmulo de trabalho e alcançar as metas definidas em resolução da Assembleia Geral.

Pós- 2015
O diretor também falou sobre a agenda pós-2015. Ele lembrou que o secretário-geral pediu uma agenda de desenvolvimento sustentável pós-2015 universal, baseada nos direitos humanos e que contenha um apelo ao fim da violência contra mulheres e crianças além de priorizar a educação para mais de 1,8 mil milhão de jovens e adolescentes no mundo atualmente.
Os Estados-membros estão a embarcar em negociações para uma proposta dos objetivos e indicadores em maio deste ano. O objetivo é adotar a agenda de desenvolvimento pós-2015, durante a reunião de chefes de Estado na Assembleia Geral da ONU em setembro.

# Rádio ONU


Entrevista do Sociólogo Caboverdiano Redy Wilson Lima à RFI - Ele manifesta sua preocupação face ao avanço do crime em Cabo Verde e algo mais...

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




Acesse o LINK e escuta a entrevista na íntegra.

Total de visualizações de página