Postagem em destaque

Veículo robótico russo pode destruir facilmente tanques de Leopard e Abrams.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... A versão de combate do veículo robótico russo Marker será capaz de d...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

BOAS FESTAS!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Resultado de imagem para IMAGENS DE BOAS FESTAS

O BLOG DJEMBERÉM AGRADECE A TODOS OS USUÁRIOS DE INTERNET QUE PREVILEGIAM O SEU TRABALHO COM ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DAS INFORMAÇÕES AQUI DIFUNDIDAS. QUER APROVEITAR TAMBÉM PARA DESEJAR A TODOS OS VISITANTES DESSE ESPAÇO, OS VOTOS DE UM FELIZ ANO NOVO, SAÚDE,  PAZ E  BEM-ESTAR.

CONSIDERAÇÕES:

Estimado usuário, mais um ano se encerra, mais um ciclo se fecha e é tempo de fazermos uma retrospectiva. É tempo de olharmos para trás e rever os planos que foram traçados, o caminho que foi percorrido, as metas e os objetivos que foram alcançados.

É tempo também de olharmos para a frente, refazer planos, vislumbrar novos horizontes, e abrirmos o coração para sonhar.

Nós do Blog Djemberém em particular, agradecemos pela oportunidade de fazer parte da sua história e por contribuir com informações privilegiadas para manter você actualizado no mundo das notícias. Esperamos que esta parceria continue ainda por muitos e muitos anos.

Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero! Boas Festas e Felicidades!

DSP AFLITO E DESCONTROLADO PROCURA DENEGRIR A IMAGEM DO PRIMEIRO MINISTRO - GENERAL UMARO SISSOKO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

MAS SISSOKO DEIXA UM AVISO:
DE QUE ESTE GOVERNO NÃO VAI TOLERAR QUE DESRESPEITEM AO POVO E AOS INTERESSES SOBERANOS DA NAÇÃO. 


UMARO SISSOKO NUNCA FOI RECEBIDO EM NIGÉRIA COMO UM SIMPLES EMISSÁRIO.  MAS SIM  RECEBIDO COMO PRIMEIRO MINISTRO  DA GUINÉ BISSAU. 
EM NENHUMA PARTE DO MUNDO SE ESTENDEM UM TAPETE VERMELHO A UM EMISSARIO..., MAS AO SISSOKO LHE FORAM ESTENDIDAS O TAPETE.
POR OUTRO LADO, O GENERAL SISSOKO FAZ SABER QUE JAMAIS SAIU COM O PRESIDENTE JOMAV EM VIAGEM ALGUMA COMO EMISSARIO MAS SIM COMO PRIMEIRO MINISTRO

SISSOKO FOI RECEBIDO COM TODAS AS HONRAS E REGALIAS PELO MAIS PODEROSO PRESIDENTE DE ÁFRICA, E COMO AQUI NO DOKA INTERNACIONAL FALAMOS E MOSTRAMOS  VERDADE,  EIS A PROVA.
LEIAM.

POR OUTRO LADO EXISTEM DIFERENÇAS ENORMES ENTRE DSP E SISSOKO;  

UMA DELAS QUE SISSOKO FEZ DE TUDO E MAIS ALGUMA COISA PARA AJUDAR DSP NO PASSADO PARA QUE ESTE CONSEGUISSE ALGUM DINHEIRO  FINANCIADO  POR ALGUNS PRESIDENTES OU PERSONALIDADES IMPORTANTES. 

TER EM CONTA QUE  SISSOKO SEMPRE VIAJOU EM AVIÕES PRIVADOS..., AO CONTRÁRIO DE DSP...., O QUE SIGNIFICA A GRANDE DIFERENÇA DE PODERIO  FINANCEIRO E EM TERMOS DE INFLUÊNCIA PARA COM A COMUNIDADE INTERNACIONAL.

GUINEENSES, VAMOS DAR AO CÉSAR O QUE PERTENCE AO CÉSAR:
O POLITICO GUINEENSE COM MAIOR INFLUENCIA E MAIS CONHECIDO A NÍVEL DA ESFERA POLITICA INTERNACIONAL, CHAMA- SE UMARO SISSOKO, E QUANTO A ESSE ASPECTO, TEMOS QUE O RECONHECER E O VALORIZAR. 

DSP NESTE MOMENTO SABE QUE ESTE GOVERNO VEIO PARA FICAR E DE QUE A ANP VAI ABRI AS PORTAS, PORQUE A GUINE BISSAU JAMAIS SERA REFEM DO DSP E DO CIPRIAS CASSAMA.

MAS VEJAM BEM ESTA DIFERENÇA EM TERMOS DE PRESENÇA PESSOAL E DIGAM O QUE ACHAM:

Se bu corda parmanha cedu, bu odja fiundadi di bu papeh, keh ku pudi fassi???  Si ka sufri kel???
SEGUNDO AS ESTATÍSTICAS LEVADAS AO CABO, OS GUINEENSES POR UNANIMIDADE FALAM EM VIVA VOZ DE QUE OS PRIMEIROS MINISTROS DA GUINE BISSAU EXISTENTES E MAIS FEIO NA NOSSA HISTORIA FORAM DOIS:
CARLOS CORREIA E DSP..., E O MAIS BONITO, CONSIDERADO PELOS MESMOS FOI O GENERAL SISSOKO.
REALMENTE, AO VERMOS ESTA FOTO, CONSTATAMOS QUE O UNIVERSO CONSPIROU MESMO CONTRA ESTE HOMEM.

General Umaro Sissoko..., garante que o governo liderado por ele, nunca sera bandalhado ou tratado que nem lixo como DSP pensa.

O General garante ainda de que o seu governo esta e vai sempre defender os interesses do povo.

OBS- 
SISSOKO AJUDOU MUITO AO DSP PARA QUE ESTE OBTESSE MUITO DINHEIRO, LEVANDO- O AO ENCONTRO DE VÁRIOS CHEFES DE ESTADO.





EUA expulsam diplomatas russos por interferência em eleição.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, impôs hoje (29) sanções contra dirigentes do governo e da inteligência da Rússia por conta da suposta interferência do país na eleição vencida por Donald Trump. As informações são da agência Ansa.

Para Obama, a decisão é uma resposta necessária aos esforços para prejudicar os interesses dos EUA Foto: Agência Brasil

De acordo com a Casa Branca, os cinco indivíduos e seis entidades afetados estão envolvidos em "significativas atividades cibernéticas maliciosas". O Departamento de Estado também expulsou 35 diplomatas da Embaixada de Moscou em Washington e do consulado em São Francisco, dando a eles e suas famílias 72 horas para deixarem o solo norte-americano.

Além disso, os russos não terão mais acesso a dois complexos estatais em Maryland e Nova York. "Ciberativistas da Rússia tentaram influenciar a eleição, erodir a fé nas instituições democráticas dos EUA e levantar dúvidas sobre a integridade do nosso processo eleitoral", informou um comunicado da Casa Branca.
As sanções serão impostas pelo Departamento do Tesouro e atingirão o Diretório Principal de Inteligência (GRU) e o Serviço Federal de Segurança (FSB), sucessora da KGB. A lista inclui três companhias que deram apoio a operações do GRU, quatro oficiais da agência e dois civis acusados de "usar meios cibernéticos para causar a apropriação indevida de informações pessoais".
"Essas ações se seguem a repetidos avisos públicos e privados que nós demos ao governo da Rússia e são uma resposta necessária e apropriada aos esforços para prejudicar os interesses dos EUA", disse Obama por meio de uma nota.
A notícia de que o presidente estava estudando sanções contra Moscou surgiu na quarta-feira (28), elevando a tensão com o Kremlin na reta final de seu mandato. Recentemente, a CIA afirmou que hackers russos vazaram emails do Partido Democrata para beneficiar Trump, que promete adotar uma postura mais amigável a Putin.
Divulgadas pelo WikiLeaks, as mensagens indicavam um suposto favorecimento da cúpula da legenda à candidata Hillary Clinton, em detrimento de Bernie Sanders. Segundo os serviços de inteligência dos EUA, o ataque cibernético teve o aval do próprio presidente da Rússia, que nega as acusações.
Ao assumir a Casa Branca, Trump colocará no Departamento de Estado o CEO da petrolífera Exxon Mobil, Rex Tillerson, que mantém boas relações com Putin.

#terra.com.br

GUINÉ BISSAU : O ACORDO DE CONACRI AINDA EM QUESTÃO

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

DSP, desinformador-mor, licenciado em mentiras, mestre em manipulação e doutorado em máfia. Pare de enganar o povo, a CEDEAO não está consigo e nem quer nada consigo. Aconselhamos-lhe a demitir-se do cargo de presidente do PAIGC e consequentemente deixar a política visto que não é a sua praia. Desde que assumiu a liderança do PAIGC, só semeou intriga, desunião, conflito e ditadura no seio desse partido, e por sua teimosia o país ficou parado há mais de um ano. Pense bem.
 
De regresso a Bissau, depois de um périplo a vários países africanos, depois de assistir à cimeira da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental), na Nigéria, o líder do PAIGC juntou esta quinta-feira os militantes e dirigentes do seu partido para os informar do que se passou na cimeira de Abuja.

Domingos Simões Pereira disse ter ficado confortado com a posição dos líderes da CEDEAO, 

 por terem sido unânimes em recomendar ao Presidente guineense, José Mário Vaz, que cumpra com o Acordo de Conacri.
 
Disse também que que a própria CEDEAO não terá outra alternativa que não seja fazer cumprir o Acordo de Conacri, uma vez que a organização oeste - africana está mandatada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Num tom de confiança total no futuro, Domingos Simões Pereira tranquilizou os militantes do seu partido, dizendo-lhes que, quem não cumprir com os compromissos assumidos perante a comunidade internacional, será sancionado.

Domingos Simões Pereira voltou a frisar que o PAIGC e outras três formações políticas com assento parlamentar não reconhecem o Governo de Úmaro Sissico Embaló, e que nada pode amedrontar os defensores da democracia na Guiné-Bissau.

 

Mussá Baldé, em Bissau, para a RFI

"UMARO SISSOCO EMISSÁRIO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA A SUA MENSAGEM NO ESTRANGEIRO É PEDIR DINHEIRO", Diz DSP

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




O líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira (DSP) qualifica de “golpe de Estado constitucional”, o que está acontecer no país. Para depois afirmar que, a “democracia está à venda” na Guiné-Bissau. 

DSP que falava em conferencia de imprensa após o seu regresso ao país, disse que o Presidente da República veio de Abuja com “oportunidade extraordinária de por fim a crise”, reunir a família guineense e pedir desculpa. Mas acabou de desperdiça-la. Com tudo, disse esperar da CEDEA, clareza e determinação para repor a legalidade, ao menos que essa organização pretende pôr em causa a sua idoneidade. 

Simões Pereira disse que, José Mário Vaz não tem outra saída a não ser o cumprimento escrupuloso do acordo de Conakry e questiona; “Estamos ou não determinados a salvar os nossos valores da democracia? Se temos a coragem de o fazer, Deus nos ajudará. O Presidente da República cumpri com o acordo de Conacri na íntegra”, defendeu DSP.

O presidente do PAIGC denuncia que, o Presidente Mário Vaz está a enviar o seu primeiro-ministro ao estrangeiro como seu emissário, quando esse chegar tira fotografia para confirmar a sua presença, mas o conteúdo da mensagem é pedir dinheiro.

Conosaba com Notabanca

LÍDER DO PAIGC AFIRMA QUE O POVO GUINEENSE NÃO ESTÁ ESCLARECIDO SOBRE CIMEIRA DE ABUJA

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde afirma que o povo guineense ainda não está esclarecido sobre o nome do consenso para a escolha de o primeiro-ministro porque os participantes na cimeira da Abuja não testemunharam de forma “clara” e “inequívoca” o conteúdo tratado
Domingos Simões Pereira que falava, esta quarta-feira (28/12), a quando da sua chegada, no aeroporto internacional Osvaldo viera, depois uma ronda de esclarecimentos na CEDEAO sobre a figura do primeiro-ministro, sustenta ainda que, durante a cimeira, a presidente em exercício da CEDEAO afirmou que está “categoricamente desiludida” porque nenhum conselho dado ao presidente José Mário Vaz está a ser cumprido.
“O Presidente da república da Guiné-Conacri (mediado da CEDEAO) afirmou que houve consenso em Conacri e não só chamou o nome de consenso que é Augusto Olivais como também instou o representante do Secretario Geral das Nações Unidas no país, o representante e o presidente da comissão da CEDEAO para contrariá-lo caso estaria a faltar com a verdade”, revela Simões Pereira que adianta, no entanto, que este desafio foi lançado depois de a cimeira ser interrompida por Alpha Conde.
Segundo o líder dos libertadores foi afirmado ao presidente da república de que “não está a cumprir o acordo de Conacri e foi instado a regressar ao acordo” assinado por partes desavindas.
“O desfecho cabe sempre ao povo guineense que deve ser capaz de perceber que existem pessoas que não têm condições e nem merecem representar o povo guineense”, defende.
“Quando chegar o momento, os guineenses saberão escolher os seus verdadeiros representantes”.
Estas declarações de Simões Pereira vêm contrariar as de o presidente da república, José Mário Vaz, que garante que em nenhum momento, durante a conferência de chefes de Estado da CEDEAO, foi posta em causa a legitimidade ou a continuidade de o governo de Umaro Sissoco Embalo.
Esta quinta-feira (29/12) o líder do PAIGC deve falar aos militantes do partido para falar dos encontros realizados com a comunidade i internacional com vista a “esclarecer” o acordo de Conacri.
Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos/radiosolmansi com Conosaba do Porto

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

CUBA: Raúl - «Não vamos nem iremos para o capitalismo, isso está totalmente descartado».

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Assim expressou o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, ao concluir o oitavo período ordinário de sessões da oitava legislatura, da Assembleia Nacional do Poder Popular

Photo: Juvenal Balán
«O líder histórico da Revolução Cubana legou-nos seu exemplo imperecedouro, seu irrenunciável otimismo e fé na vitória. O melhor monumento aos seus ideais e obra é tornar realidade, cada dia, os postulados contidos em sua brilhante definição de conceito de Revolução, que tornou pública em 1º de maio de 2000 e que nós milhões de cubanos subscrevemos».

Assim expressou o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, ao concluir o oitavo período ordinário de sessões da oitava legislatura, da Assembleia Nacional do Poder Popular.

Raúl lembrou as palavras que proferiu em 3 de dezembro passado, em Santiago de Cuba, quando anunciou a vontade de Fidel de que seu nome e sua figura nunca fossem utilizados para nomear instituições, praças, parques, avenidas, ruas ou outros lugares públicos, nem erguer em sua memória monumentos, estátuas nem outras formas similares. «Nosso Parlamento converteu em lei a vontade expressa pelo companheiro Fidel», expressou.

«Seu espírito de luta permanecerá na consciência dos revolucionários de hoje, de amanhã e sempre, e assim o demonstraremos na revista militar e marcha do povo combatente, no dia 2 de janeiro, em homenagem ao Comandante-em-chefe e nossa juventude», manifestou.
Ao fazer uma análise da economia, o general-de-exército fez questão de lembrar as palavras que proferiu na sessão ordinária de dezembro de 2015, quando advertiu que o desempenho deste setor, em 2016, devia enfrentar limitações financeiras, por causa da queda das receitas pelas exportações e dos preços dos principais itens, entre outros fatores, projeções que foram confirmadas em meados do presente ano.

«As limitações nos fornecimentos de combustível e as tensões financeiras agravaram-se no segundo semestre conduzindo ao decrescimento do Produto Interno Bruto em 0,9 %. Apesar disso, preservaram-se os serviços de educação e saúde gratuitos», sublinhou Raúl. E ratificou que não se produziu o colapso da economia nem o retorno dos apagões (blecautes), como auguravam não poucos maliciosos órgãos da mídia internacional.

«Não podem ser esquecidos os efeitos negativos que gera o bloqueio», indicou. E comentou que Cuba continua sem poder realizar transações internacionais em dólares estadunidenses.
Outro impacto na economia cubana provocaram, neste ano, as afetações que ocasionou o furacão Mathew, com um saldo significativo de destruição de moradias, escolas e locais de saúde, entre outros, segundo precisou Raúl em suas palavras.

«Graças às medidas adotadas para a proteção da população não tivemos que lamentar a perda de vidas humanas, como aconteceu, infelizmente, em outros Estados», disse.
Agradeceu, ainda, as manifestações de solidariedade e o apoio material recebido de muitos países e as organizações internacionais do sistema das Nações Unidas para a recuperação, e fez uma menção especial à irmã República da Venezuela, por iniciativa de seu presidente Nicolás Maduro.
Quanto ao plano da economia para 2017 alertou que persistirão tensões financeiras; contudo, «prevemos que a economia retome o caminho ascendente e que o Produto Interno Bruto cresça moderadamente em torno de 2%».

«Para conseguir isso será preciso cumprir três premissas decisivas: garantir as exportações e sua cobrança oportuna, incrementar a produção nacional que substitua importações, e reduzir toda aquela despesa não imprescindível», augurou.
«Continuaremos executando os programas de investimentos em função do desenvolvimento sustentável da economia nacional, para o qual será imperativo», segundo precisou, «dinamizar o investimento estrangeiro, esfera na qual não estamos satisfeitos e têm sido frequentes as demoras excessivas do processo negociador. É preciso superar, de vez e para sempre, a mentalidade obsoleta, cheia de preconceitos, contra o investimento estrangeiro».

Aprofundou que devemos despojar-nos de falsos temores acerca do capital externo. Não vamos nem iremos para o capitalismo, isso está totalmente descartado, dessa forma aparece em nossa Constituição, mas não devemos ter medo e colocar obstáculos àquilo que podemos fazer no âmbito das leis vigentes, o que implica a preparação dos dirigentes e especialistas que negociem, bem como aprofundar nas deficiências e erros cometidos no passado para não repeti-los, indicou o general-de-exército.

Raúl acrescentou que Cuba não produz todo o combustível que necessita; algo que tem sido uma espada de Dámocles desde o triunfo da Revolução, pelo que sem abrir mão do incremento da produção nacional de petróleo, devemos acelerar o desenvolvimento das fontes renováveis de energia, que neste momento apenas são 4,65% da geração de eletricidade no país.

Acerca da experiência aplicada nas províncias de Artemisa e Mayabeque, e a aprovação para continuarem trabalhando até que conclua a atual legislatura, sublinhou, entre outras vantagens, que tem permitido pôr em prática um conjunto de princípios organizativos, que incrementam a atenção aos conselhos populares, delegados ou vereadores nas circunscrições e à população em geral.

«Não obstante, vieram à baila deficiências que impediram a consolidação do modelo de gestão», disse. E referiu-se a dificuldades como o elevado nível de flutuação de dirigentes dessas instâncias, a insuficiente atenção e supervisão por parte dos organismos e entidades nacionais, entre outras. Cabe, juntamente com as estruturas do Partido nas diferentes instâncias, superar os erros e avançar sem recuos em sua culminação, no novo prazo concedido», afirmou.
Quando restam, poucas horas para lembrar mais um aniversário do triunfo da Revolução e o advento do novo ano, Raúl concluiu enviando uma felicitação ao povo de Cuba.

#granma.cu

EMPRESA DA CHINA INICIA CONSTRUÇÃO DE PORTO DE PESCA E HOTEL NA GUINÉ-BISSAU EM MARÇO DE 2017 .

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A empresa chinesa Fujian Shiahai inicia em Março de 2017 a construção do porto de pesca e de um hotel na localidade de Prabis, no norte da Guiné-Bissau, anunciou este fim-de-semana o representante local da empresa, Fodé Djassi.

Fodé Djassi adiantou que da parte chinesa estão criadas todas as condições, nomeadamente o capital necessário para financiar as obras em Prabis, faltando apenas que as autoridades da Guiné-Bissau aprovem os pedidos de autorização apresentados.

O presidente da empresa chinesa, Yan Macky, que na altura entregava prendas de Natal às crianças daquela localidade, justificou a escolha da Guiné-Bissau para a realização deste investimento “com o acolhimento caloroso que recebeu no país.”

As obras de construção do porto de pesca e de um hotel, cujos custos não foram divulgados, irão empregar, pelo menos, três mil pessoas, entre técnicos chineses e trabalhadores guineenses. Fonte: Macauhub


A Guiné-Bissau desperdiçou duas grandes oportunidades no âmbito da cooperação com a China ao longo de 2016, afirmou o embaixador cessante da China, Wang Hua, em declarações ao jornal guineense “O democrata.”


O diplomata chinês especificou que a primeira delas ocorreu no passado mês de Julho, aquando do Fórum da Cooperação China/África, em que meia centena de países africanos levaram cerca de 300 projectos avaliados em 50 mil milhões de dólares, os quais a República Popular aceitou financiar.


Apesar de ter participado neste encontro, “a Guiné-Bissau não conseguiu apresentar uma ideia concreta, específica e viável, por falta de uma definição clara da sua política de cooperação com a China”, disse o embaixador.

Wang Hua assegurou que foi o seu país que tomou a iniciativa de mudar do antigo para um novo formato de cooperação entre os dois países, o que resultaria na assinatura, nomeadamente do acordo de cooperação no domínio agrícola com uma duração de 2 anos.

A outra oportunidade não aproveitada pela Guiné-Bissau, prosseguiu o embaixador, surgiu no decurso 5.ª Conferência Ministerial do Fórum de Macau, em que o então primeiro-ministro, Baciro Djá, à frente de uma delegação ministerial de sete pessoas, não conseguiu apresentar nenhum projecto viável capaz de mobilizar fundos do sector privado chinês.

Wang Hua, cuja missão termina no final do ano em curso, sublinhou que apesar de tudo a China procurou sempre minimizar os problemas da Guiné-Bissau e deu como exemplo a iniciativa do seu pais em perdoar a dívida de Bissau no valor de 30 milhões de dólares.

Por outro lado, salientou o diplomata, o governo chinês ofereceu este ano um apoio financeiro de 100 milhões de yuans para financiar alguns projectos de infra-estruturas da Guiné-Bissau, entre os quais a construção da auto-estrada Bissau/Safim.

Esclareceu que apoios deste género podiam ser em número muito maior, bem como por parte do sector empresarial chinês, não fosse a situação de instabilidade política institucional.

“Durante a minha estada na Guiné-Bissau trabalhei com seis primeiros-ministros”, disse, para exemplificar as constantes trocas de governo na Guiné-Bissau. (Macauhub)

PRESIDENTE DAS FILIPINAS AMEAÇA ATIRAR DE UM HELICÓPTERO FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS CORRUPTOS - OLHA QUE SE ESSA MODA PEGA NA GUINÉ EM POUCO TEMPO TERÍAMOS UM PAÍS DE ORGULHO DOS VERDADEIROS " FIDJOS DI TCHON!"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Como seria se o homem fosse presidente da Guiné-Bissau? Djintis na tchora tchiu, pabia tchuris na tem pada tudo lado.

"Se é corrupto, vou buscá-lo com um helicóptero e mando-o para fora". A afirmação é do presidente da Filipinas Rodrigo Duterte. E a ameaça está a ser levada bem a sério, até porque Duterte diz que ele próprio já o fez e não terá qualquer receio em voltar a fazer.

O presidente das Filipinas diz que em tempos atirou de um helicóptero um indivíduo chinês suspeito de violação e assassinato. Algo que voltará a fazer com elementos do Estado que sejam corruptos.

"Já o fiz antes, por que razão não o faria de novo?", disse Duterte durante um discurso sobre as vítimas de um tufão que atingiu as Filipinas. 

Questionado sobre a veracidade da história do helicóptero, o porta-voz de Duterte não negou, mas também não confirmou: "Digamos apenas...lenda urbana", afirmou aos jornalilstas Ernesto Abella, sem acrescentar mais informação.

Não é a primeira vez que o Duterte admite ter matado pessoas. Ainda há umas semanas o presidente das Filipinas afirmou que durante os seus 22 anos como presidente da Câmara da cidade de Davao chegava a andar de mota pelas ruas da cidade à procura de "encontros para matar".

Perante todas estas afirmações, as Nações Unidas enviaram recentemente o Alto Comissário para os Diretos Humanos ao país para investigar a veracidade das declarações de Duterte. Quando teve conhecimento disso, o presidente das Filipinas chamou a esse responsável "estúpido", um "idiota" que devia voltar para a escola. Fonte: RTP
NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

POLÍTICA: PM DA GUINÉ-BISSAU REALIZA *TOURNÉE*AOS PAÍSES DA CEDEAO
Bissau, 28 Dez 16 ( ANG ) -  O Primeiro-ministro da Guiné-Bissau iniciou   esta terça-feira uma viagem aos países da  Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO ), nomeadamente  Senegal,  Nigéria, Burquina Faso e Costa do Marfim. 
   
Em  declarações á imprensa no aeroporto, Umaru Sissoko Embalo disse que a visita realiza-se  no quadro de contactos com os presidentes destes países, para falar da situação da Guiné-Bissau e da cooperação com os respectivos países.

Umaro Sissoco  destacou que em relação a  Nigeria , a razão da viagem mais se deve ao facto deste pais  ser um acionista de peso junto do Banco Africano de Desenvolvimento(BAD).

ainda  que não esquecendo da importância da  sua visita ao convite do Presidente da Nigéria, é porque este país é grande acionista  do Banco Africano de  Desenvolvimento (BAD), tendo em conta um impacto económico que o referido país possui nesta organização.  
  
Realçou ainda que,  este encontro enquadra-se na colaboração da parceira da Guiné-Bissau com  os países da CEDEAO.   

De salientar que, os países que fazem parte da CEDEAO são nomeadamente, Guiné-Bissau, Senegal, Nigéria, Costa de  Marfim, Mali, Guiné- Conacri, Togo e outros.

Neste sentido, faz recordar que recentemente foi realizada uma cimeira em Abuja, Nigéria e neste sentido houve um ponto de divergência entre o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz e o Presidente da Guiné-Conacri,  Alfa Condé  sobre a nomeação do Primeiro-Ministro guineense, Umaru Sissoko Embalo.  

ANG/ PFC 

«CAN-2017 EM GABÂO» FALTAM APENAS 17 DIAS PARA A GUINÉ-BISSAU DEFRONTAR A SELECÇÃO DO GABÃO .

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


“DJURTUS” REFORÇADO COM MAIS JOGADORES PARA JOGAR CAN-2017 EM GABÂO

Apenas, faltam dezassete dias para a Guiné-Bissau entrar em competição, frente à seleção do Gabão, em jogo inaugural do CAN-2916, marcado para o dia 14 de janeiro próximo.

Os dezanove jogadores da selecção Nacional se encontravam no estrangeiro, já estão em Bissau, para se juntar à equipa dos “Jurtus” para um regime de estágio de preparação para operação Gabão/2017.
Os jogadores foram recebidos nesta noite do dia 28 de dezembro, no aeroporto Internacional Osvaldo Vieira em Bissau, com uma moldura humana de simpatizantes, perante o Ministro da Cultura e dos Desporto, bem como do Ministro de Estado da Energia.

Florentino Mendes Pereira que falava em representação do Primeiro-ministro, assegurou que o seu executivo vai tudo fazer para garantir uma melhor participação dos “Djurtus” na maior competição africana de futebol.

“Na base daquilo que é a nossa possibilidade, vamos dar tudo para corresponder às necessidades da nossa seleção Nacional”, Disse o governante.
Satisfeito de ver reforçado o seu colectivo desportivo, o selecionador Nacional, Baciro Candé garante que, os “Djurtus” estão prontos para jogar para corresponder as expectativas dos guineenses.


Para o capitão dos “Djurtus”, Bucundji Cá, não resta nada se não pedir ao Governo para dar apoio ao Seleção Nacional e garantir a participação dos adeptos, considerado décimo terceiro jogador no rectângulo do jogo.

Conosaba com Notabanca



#conosaba.blogspot.com


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

NUNO NABIAN DENUNCIA TENTATIVA DE ASSALTO AO PARLAMENTO GUINEENSE E DETENÇÃO DO SEU LÍDER CIPRIANO CASSAMÁ .

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



O líder da Aliança Popular Unida Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) denuncia estar em curso tentativa de assalto ao Parlamento guineense, deter Cipriano Cassamá para constituir a Mesa da ANP, aprovar o programa do Governo e o Orçamento-geral de Estado do Governo de Umaro Sissoco. 

“Mas estamos atentos porque a lei de macaquice ou da selva não pode penetrar na política”, disse Nabiam. 

Nuno Gomes Nabian afirma que o Governo de Umaro Sissoco é ilegal e já tem dias contados por ser inconstitucional e viola Acordo de Conacri. 

Nabiam disse que foram convidados varias vezes para se integrarem Governos, mas recusaram de o fazer esperando melhores dias e exorta aos apuanos de “não entrarem em querelas políticas e lutas desnecessárias que possam pôr em causa o partido e o país”. 

No entender do líder apuano, a censura de notícias da sua formação política perpetrada pela direcção da TGB teve suporte do Presidente Mário Vaz, que agora já “perdeu a integridade moral só fala asneira. Um presidente intriguista, um presidente que não conta a verdade daquilo que está a fazer, não é justo. Quer trazer problema de raça. Nós não vamos aceitá-lo”, enfatizou Nabian para depois indicar que a maioria das pessoas da sua etnia se encontra a sua volta, sinal claro de tribalismo. 


Nuno Nabiam tranquiliza os dirigentes do PRS, segundo disse lhes vêm como inimigos. Para não se preocuparem porque são adversários políticos e não como inimigos. Mas deixa claro que nunca vai de robots de um líder partidário ou de uma formação politica abdicando do seu papel da oposição. 

Conosaba com Notabanca



GUINÉ-BISSAU: QUEM SÃO MEMBROS DO EXECUTIVO DO GOVERNO DE ÚMARO CISSOCO EMBALÓ

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Bandeira de Guiné-Bissau

VISITE O SITE ATRAVÉS DO LINK ABAIXO E CONFERE:

QUEM SÃO MEMBROS DO EXECUTIVO DO GOVERNO DE ÚMARO CISSOCO EMBALÓ

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A guerra e o atraso de Angola.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O discurso oficial da ditadura angolana atribui o atraso do país à guerra. A guerra foi responsável por uma total devastação, e por isso o país tem demorado muito tempo a erguer-se e a recuperar.

Por Rui Verde (*)

Ainda agora o governador do Malange fez eco desse pensamento quando num discurso afirmou: “Agostinho Neto, independência nacional, José Eduardo dos Santos, paz, reconciliação nacional e reconstrução nacional até às bases do desenvolvimento, e João Lourenço, desenvolvimento e prosperidade.”
Esta tripla estratificação explicaria por que razão o mandato de José Eduardo dos Santos fora um fiasco para Angola em termos económico-sociais. Tal aconteceu devido ao facto de o ditador-presidente ter estado ocupado com questões de guerra e paz. E já o próprio José Eduardo tinha afirmado, no seu surreal discurso do Estado da Nação de Outubro de 2016: “Muitos questionam por que razão não começámos este processo [diversificação da economia] muito antes, mas na verdade ele começou há muito tempo, só que não havia condições objectivas no nosso país para avançarmos mais depressa. Quando terminou a guerra em 2002, Angola e o Cambodja eram os países do mundo que tinham mais minas anti-pessoal e anti-tanque.”
José Eduardo usa o argumento da guerra, em particular as minas espalhadas pelo território, para justificar todo o atraso económico angolano e a dependência do petróleo. Não explica como gastou os mais de US $309 biliões de receitas fiscais derivadas da exportação de petróleo e de poupança líquida do Estado, arrecadados entre 2002 e 2014.
Esta teoria pode encontrar eco na propaganda, mas não na realidade. Estamos perto de 2017, a guerra terminou em 2002. Passaram-se, portanto, 15 anos.
Façamos um pouco de história comparada.
Em 1945, terminou a Segunda Guerra Mundial, com a derrota da Alemanha nazi. A própria Alemanha fora invadida pelos exércitos anglo-americano, de um lado, e russo, do outro. No final, a capital, Berlim, era o rosto da devastação do país.
Costuma-se chamar a este ano – 1945 – o ano zero da Alemanha. O país ficou sem nada. “Milhões de metros cúbicos de entulho eram a única coisa que restava das metrópoles alemãs depois do final da Segunda Guerra Mundial. (…) Os bombardeios às cidades alemãs haviam deixado 20 milhões de desabrigados no país. Quatrocentos milhões de metros cúbicos de entulho tinham de ser removidos. Um comparativo para demonstrar a situação: dos 750 mil habitantes de Colónia antes da guerra, haviam restado 40 mil.
Quinze anos depois, 1960. A Alemanha Ocidental é dos países mais desenvolvidos e prósperos do mundo. Aconteceu o chamado “milagre económico”. Entre 1952 a 1960, o investimento aumentou 120% e a economia cresceu 80%.
Isto quer dizer que, se é verdade que a guerra destruiu a Alemanha, tal não foi razão para que, 15 anos depois, a Alemanha não fosse um dos países mais prósperos do mundo. Foram precisamente os mesmos 15 anos que não serviram para Angola.
Dirão que Angola não é a Alemanha. Certo, mas daqui deriva que, se Angola não cresceu e não se tornou um país próspero depois de 2002, não foi por causa da guerra, mas por outros condicionalismos: a má governação, a apropriação da riqueza por uma pequena clique dominante, a corrupção, a falta de educação e a falta de investimento na população.
A diferença entre Angola e a Alemanha no pós-guerra é que Angola teve uma classe dirigente não democrática cujo único objectivo foi enriquecer e gozar dos despojos da guerra. Os generais vitoriosos sentiram o direito ao saque. Ganharam a guerra, e agora tudo é deles. Sentiram-se verdadeiros Senhores da Guerra, donos do país, do povo, das riquezas.
Essa – e não a própria guerra – é a única razão pela qual Angola não evoluiu depois do conflito.
A guerra não pode continuar a servir de alibi para o atraso, a ganância e a corrupção da ditadura angolana que mantém o país na miséria.

“Mesmo com guerra, Kabila será obrigado a sair”.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

blaise

A República Democrática do Congo (RDC) está mergulhada num conflito político que se tem agravado desde o término oficial do mandato presidencial de Joseph Kabila, ocorrido na segunda-feira última, dia 19.

Por Sedrick de Carvalho
No dia seguinte, 20, pelo menos 19 pessoas morreram durante distúrbios onde forças policiais dispararam contra manifestantes que exigiam a saída imediata do presidente no poder. Dados da ONU local apontam que, para além das mortes, mais de 45 pessoas ficaram gravemente feridas.
No dia 23 de Outubro mais de 20 indivíduos congoleses democráticos em Angola foram detidos quando se preparavam para protestar contra a permanência de Joseph Kabila na presidência, numa altura em que Kabila se encontrava em Luanda para participar numa reunião da Região dos Grandes Lagos.
Blaise Zimambu, congolês democrático a residir em Angola há 10 anos, falou ao F8 sobre a instabilidade política que se regista no seu país. Em 2011 esteva em Kinshasa, capital da RDC, onde foi exactamente para participar nas manifestações contra Kabila que se proclamara vencedor das eleições que aconteceram naquele ano, o início do segundo mandato presidencial que terminou nesta semana.
Em Kinshasa, Kabila nunca ganhou. Blaise Zimambu é natural de Kinshasa. Através de contactos com familiares e amigos que têm participado em manifestações, Zimambu confirma que “a situação no Congo está péssima, aquilo está mal mesmo”, tanto que “alguns amigos foram feridos na repressão policial de terça-feira”.
Zimambu afirma que em 2011 “ele já não devia governar” porque “na verdade ele perdeu” nas eleições. Kabila manteve-se no poder “porque é a pessoa que tem a força através do armamento que controla”. A Constituição congolesa determina que apenas pode ser presidente durante dois mandatos. Desde o ano passado que Kabila tem tentado alterar a lei magna do país para permitir que ele concorra ao terceiro mandato consecutivo. Para isto tem um forte aliado: o presidente de Angola, José Eduardo dos Santos.
Para além de Kinshasa, que é o centro das manifestações, Matadi e Lumbubashi são outros dois locais onde se verificam fortes protestos com violência policial à mistura.
O acordo assinado em Kinshasa para reorganização do ciclo eleitoral seguinte não é bem visto pelos populares, e Zimambu adianta que “este acordo não é bom porque o mandato dele terminou e por isso tem de deixar o poder de qualquer forma”. E “qualquer forma” significa que “mesmo com guerra os congoleses vão continuar até ele sair”.
A Conferência Episcopal Nacional do Congo (CENCO) emitiu uma declaração na quarta-feira, dia 21, onde exige aos políticos congoleses um acordo que ponha termo à crise política antes do Natal. Muitos congoleses desejam que Joseph Kabila, o principal motivo da instabilidade, acate a exigência da Igreja Católica. Blaise Zimambu deposita esperanças nesta exigência. Questionamos o que fará se o regime congolês não cumprir, e em resposta disse: “Então em Janeiro estarei no Congo para participar nas manifestações”.
Étienne Tshisekedi, principal líder da oposição e presidente do partido União para a Democracia e Progresso Social (UDPS), declarou recentemente que o derrube de Joseph Kabila, se necessário, acontecerá pela força do povo. As declarações de Tshisekedi serviram de motivação ao povo congolês.
Em 2011, depois das eleições, Blaise recorda que Joseph Kabila cercou a casa do líder político com vários tanques de guerra em posição de disparos. Ninguém estava autorizado a sair da residência.
Perguntamos a Blaise em quem votaria caso o presidente Kabila Jr. fosse derrubado. O escolhido de Zimambu encontra-se preso – Jean Pierre Mbemba. Desde 2008 que o antigo vice-presidente do governo de transição da RDC, de 2003 a 2006, que Mbemba se encontra preso por ordem do Tribunal Penal Internacional. Em alternativa, o congolês aponta Moise Katumbi, ex-governador da província de Katanga e actualmente um dos principais adversários de Joseph Kabila.

#jornalf8.net

2016» PRESIDENTE DA REPÚBLICA GARANTE QUE GOVERNO DE SISSOCO VAI TERMINAR A LEGISLATURA.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O presidente da República garantiu esta quinta-feira durante uma conferência com os estudantes do centro de formação profissional Brasil-Guiné-Bissau que o executivo de Sissoco vai funcionar até o fim desta legislatura.

José Mário Vaz que falava com estudantes garantiu igualmente aos estudantes que o governo de Sissoco não é governo de roubar o dinheiro de estado. “Garanto-vos uma coisa: aí de quem tomar o dinheiro de estado? Este governo não é de tomar o dinheiro de estado mas sim de esforçar para construirmos o nosso país,”.

Por outro lado, prometeu criar empresas para dois melhores alunos deste centro de formação profissional para mais adiante afirmar que os dois primeiros melhores alunos do centro “ vamos ajudar na criação da sua empresa. Gostaria que parte desses estudantes transformasse nos homens de sector privado”, concluiu.
Entretanto o ministro da função pública Tumane Baldé que acompanhou o presidente nesta visita afirmou que o país não se constrói com PhD mas com mãos de obra qualificada.
Tumane balde reconheceu igualmente que a maioria potências do mundo indústrias, o alicerce das suas economias reside exactamente nas escolas técnico-profissionais que produzem mãos de obra qualificada que “é mais valiosos que ouro e diamantes”.
Conosaba com radio sol mansi/Por: Nautaran Marcos Có

DIZEM: POPULAÇÃO DE ANGOLA EXCEDERÁ 67 MILHÕES DE HABITANTES EM 2050 .

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Angola terá uma população estimada em 67,92 milhões de habitantes em 2050, de acordo com a Projecção da População 2014-2050 elaborada pelo Instituto Nacional de Estatística de Angola e quinta-feira apresentada em Luanda.

O documento foi apresentado pela técnica do INE, Eliana Quintas, que adiantou que nessa data haverá 33,54 milhões de homens e 34,87 milhões de mulheres, sendo que mais de 40 milhões residirão nos centros urbanos e os restantes 27,89 milhões nas zonas rurais.

Eliana Quintas disse ainda que a densidade populacional de Angola mais do que duplicará face aos 21,5 habitantes por quilómetro quadrado de 2014 para 54,5 habitantes por quilómetro quadrado.

A projecção da população total do país, rural e urbano, e de cada província, assim como as características demográficas foram estimadas através do programa RUPAGG desenvolvido pelo Departamento de Censos dos Estados Unidos da América, destinando-se a disponibilizar informação desagregada sobre a evolução da população angolana por grupos etários, sexo e área de residência.

Para a elaboração da Projecção da População 2014-2050, o INE contou com a colaboração do Ministério da Saúde, assistência técnica do Fundo das Nações Unidas para a Infância, ICF Internacional, através do Programa de Inquéritos Demográficos e de Saúde (“Demographic and Health Survey”) e do Fundo das Nações Unidas para a População.

O Censo da População e Habitação de 2014 revelou que a população de Angola era nesse ano de 25,78 milhões de habitantes, dos quais 12,49 milhões do sexo masculino.

Conosaba com Macauhub

«BOAS FESTAS!» PRESIDENTE DA GUINÉ-BISSAU DESEJA A TODOS OS GUINEENSES UM FELIZ NATAL E UM PROSPERO ANO NOVO .

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

BRASIL: Viúva da Mega-Sena tem prisão revogada.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O juiz Pedro Amorim Gotlib Pilderwasser, titular da 2ª Vara Criminal de Rio Bonito, revogou a prisão de Adriana Ferreira Almeida, a ‘Viúva da Mega-Sena’, acusada da morte de Renné Senna, em 2007. Ela, que foi condenada na semana passada a 20 anos de prisão pela morte do companheiro, deve sair hoje da cadeia pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. O pedido de revogação da prisão foi feito pelo advogado dela, Jackson Rodrigues.
No pedido, a defesa alega que Adriana possui endereço fixo e que sua permanência fora da cadeia não atrapalharia a apuração criminal que já foi encerrada. Na ocasião da condenação pelo Tribunal do Jurí, em Rio Bonito, a defesa anunciou que entraria recurso para anular o julgamento, e recorrer para que ela aguardasse esses recursos em liberdade.
O magistrado determinou prisão domiciliar e decidiu que Adriana terá que comparecer mensalmente ao juízo e está proibida de ter contato com a família da vítima e com testemunhas de acusação. Não pode ainda deixar a comarca de Cachoeira de Macacu, onde mora, e terá que usar tornozeleira eletrônica.
Apesar de a Justiça condicionar a liberatação de Adriana ao uso do equipamento, o Estado do Rio não dispõe de tornozeleira há mais de um ano depois que a empresa responsável interrompeu o fornecimento por falta de pagamento. A dívida chega a R$ 5 milhões.
De acordo com a secretaria de Administração Penitenciária (Seap), como o estado está provisoriamente sem tornozeleiras, cabe à Justiça definir qual será o procedimento a ser adotado com a presa.
Em novembro, o Estado do Rio aprovou uma lei que obriga os presos a comprarem os próprios dispositivos de monitoramento caso tenham a possibilidade de cumprir a pena em regime aberto ou semi aberto. A Seap ainda não informou se a determinação já foi regulamentada e está sendo cumprida.
Julgamento
Adriana havia sido absolvida pelo Conselho de Sentença do Tribunal em dezembro de 2011. No entanto, ao julgar recurso ajuizado pelo Ministério Público, em abril de 2014, os desembargadores da Oitava Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) determinaram que Adriana fosse submetida a novo julgamento. A cabeleireira chegou a ser presa em 2007.
Crime
No dia 7 de janeiro de 2007, Renné estava em um bar sem seguranças, próximo à sua fazenda, quando dois homens encapuzados chegaram numa moto e o carona atirou em Renné; ele morreu na hora. As balas acertaram a nuca, a têmpora esquerda, o olho esquerdo e o queixo do milionário. A viúva, Adriana, foi acusada pela filha e pela irmã da vítima, Renata de Almeida e Jocimar da Rocha, de ser a mandante da execução.
Ex-lavrador, René Senna, ficou milionário em 2005, ao ganhar R$ 52 milhões no prêmio da Mega-Sena. Diabético, ele tinha perdido as duas pernas por causa de complicações da doença, morava em Rio Bonito. Em 2006, começou a namorar a cabeleireira 25 anos mais nova que ele. Ela abandonou o emprego e foi morar com ele na fazenda avaliada em R$ 9 milhões, junto com dois filhos do primeiro casamento.

#globo.com

Rússia: Queremos o nosso muro de volta - lembrando a Alemanha Nazista.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Pense bem: do outro lado (de dentro) do muro, a utopia pragmática da prática sendo problematizada de uma outra maneira talvez filosófica-conceitualmente disforme do real; o tal estado dinossauro provendo mal-e-mal o básico na medida do histórico possível...

Perdemos nossa identidade, nossa
essência. Nos alimentamos  de ilu-
sões (...) Vestimos a camisa da frase
feita, perdemos a morada da alma.
(...) Somos todos mendigos de algu-
ma forma..." Eloise de Paiva Mello


"E o muro em nossas mentes? - Não deveríamos ter permitindo aquilo,
a Alemanha anexada foi liquidada, 17 milhões de pessoas
tiveram de suportar sozinhas os principais padecimentos..."
Gunter Grass, Prêmio Nobel


Pense bem: do outro lado (de dentro) do muro, a utopia pragmática da prática sendo problematizada de uma outra maneira talvez filosófica-conceitualmente disforme do real; o tal estado dinossauro provendo mal-e-mal o básico na medida do histórico possível; concomitantemente o estudo total, pleno, inclusivo e espetacular garantido (paradoxos?); serviços primordiais mantidos no limite; as famílias às vezes também unidas pelo medo e terror da sombra que vigiava e de sindicatos que manietavam; as visões comunitárias de um pensar coletivo, plural, pouca corrupção (que é inerente ao homem animal político), nem drogas em potencial, nem gangues mirabolantes, nem ídolos pops-rastaquaras, nem prostituição difundida e nem violência generalizada, em tese todos por todos, visão comunitária-comunidade-comunismo; sem o ópio da religião charlatã, sem o ódio do Karl Marx genial na teoria, sem o ócio da decadente pequeno-burguesia mal servida de si mesma em seu lucro impune, lucro injusto, e vem a alta teconologia-know-how do open-doping de parte da mídia infiltrada, e, vá lá Kant, derrubam o muro de Berlim mais a pregação da bela liberdade democrática em tese, da beleza midiática da Nasa, da Internet globalizadora/mundializada, sejamos lúcidos, era muito paraíso aqui mesmo para os pagãos/bárbaros vermelhos sem a devida preparação para o cálice-estágio-vestibular da travessia visionária resultante (pós-tudo) e deu no que deu.

O muro caiu, aleluia CIA, FBI, Força-Tarefa, Marines, Guerra Fria e, depois ficaram então, nos referenciais-vivências (a melhor didática é o exemplo real) do outro lado do muro escancarado, os sem-muro, com as situações-problemas inéditas, a seguir arroladas, anotem:

01)-Liberdade para morrer de fome, ou escolher entre a salsicha de restos e o hambúrguer de podres. Não era melhor a carne de terceira popularizada-generalizada dos tempos de vacas magras de antes da queda do muro? Pensar pode. As prostitutas, o câmbio negro, os bandidos, as egoístas vaquinhas de presépios de modismos adoraram tudo isso pelo pique que foi a trancos e barrancos.

02)-Tecnologia de última geração, para ricos, newrichs, afortunados (alguém fica muito rico impunemente)?) e os pobres caras pálidas ainda assim morrendo de diarreia, tuberculose, malária, leptospirose - com liberdade de escolher o quanto menos pior, melhor, claro. Esquisito. Não era melhor não ter mais diarreia e nem AIDS, muito menos a lepra-craca do lucro-fóssil e de um consumismo sádico-profano? Podes crer.

03)-Os irmãos do outro lado do muro, eram irmãos no sentido magno-pleno da palavra, irmãos mesmo de sangue, suor, chope e lágrimas, na alegria e na tristeza como um casamento comungando idéias e ideais. Misturados, Minha Nossa, uns mais iguais do que os outros, as desigualdades (escondidas na pregação da mentira contra as utopias) do capitalhordismo americanalhado, mais uma corja do neoliberalismo sanguessuga e da globalização-câncer. Ver pra crer. Irmãos afortunados (poucos & suspeitos) mas não na miséria, no bundalelê geral não são tão irmãos assim. Aleluia, Marx!

04)-Recursos caros. Cursos caros. Ou seja: Os Sem-Muro são: sem estudos (reclassificatórios), sem noção de concorrência barata e podre, ou daquelas falsas (máfias & quadrilhas e oligopólios & privatizações-roubos - como em SamParaguai mais recentemente) leis falsas de oferta & procura. A utopia pelo menos era errada às claras. A que se criou no açodado do momento sazonal, era esperança pura. Na liberdade vigiada a verdade doía mas era real. A América é um blefe? Santa hipocrisia.

05)-As cidades básicas, essenciais, folclores valorados, culturas exageradamente maravilhadas, todos por um. Agora os coitados filhos do muro de antes, socados às pencas entre os marginais e as favelas, os palácios e as periferias sem etiquetas, ao deus-dará do modelo judaico-cristão, os castelos e o narcotráfico informal sistematizado do cotidiano-comum de uma economia sem dízimos sociais e com contrastes sociais pertinentes. Então, pós-moderno e pseudomoderno é tudo a mesma falácia-dialética: liberdade é tão pouco só isso? Balas perdidas para todos. Vade retro!

06)-Não foram treinados para serem tungados com dinheiro público de vulto se sujando no privado. Que saudade do Muro de Berlim (20% da estatística capitalista) que segregava no mote de todos serem providos no essencial em algumas coisas, no mínimo em outras, e no muito-tudo em arte, cultura, esporte, educação, medalhas olímpicas e vidinhas saradinhas. Que pesadelo foi o sonho. E quem é o ladrão que lucrou com isso? Reformas-mentiras. E o custo social dessa leviandade infame?

07)-Capitalismo é isso: um lixo. Confere. Liberdade para morrer de fome? Um luxo. A América-Cloaca é choro e ranger de dentes. E Sampa? Estado-Máfia. Cloaca latrina. Do outro lado do muro não havia tantos bandidos assim, de terno, gravata, toga, farda, túnica, e o medo era do estado bicho-ruim, não do coletivo lazarento, não do social; o medo era de uma coisa só, não de todos contra todos, cada um por si, inumanismo com neuras e pobrezas por atacado.

08)-Homicídios. Estatísticas. Seres: cartões de crédito. Idiotas potencializados. Suicídios. Não há como se fugir do lugar que se está. Religião pra quê? A fome não nutre consciências pedadas? Deus não faz milagres com idolatrias. Pobre é pobre em qualquer lugar do mundo. O forno capitalista é a céu aberto. Hitler foi fichinha. E o pardieiro-curral é o medo-coisa. Puteiros S/A.

09)-Querem o muro de volta, claro. É óbvio. Sim, aquele muro presencial, táctil, alto, esguio, erguido após a pilhação do embuste final da guerra. Ele era pétreo, feroz, divisório-ele-mesmo, fragmentado de grupos, não de almas. Agora numa Alemanha reunificada (pra quê, pra quem?) a empulhação do mundo contemporâneo, (frustração do ser com o ser - pra isso derrubaram o muro) são tantos os outros muros irracionais, bestificados: impunidades compradas, drogas sustentáveis (as quadrilhas governam os governos), terrorismos politizados, famílias saqueadas (terceirização neoescravista que envergonhariam feudos medievais), podres poderes com status de sitio, depois dos navios negreiros outras margens oprimindo. Há lendas e lêndias. E o muro do México, da Palestina usurpada para inglês não ver?

10)-Queremos o muro de volta. O muro era pompa, vistoso, proibido (sonhar) mas nos foi imposto por acordos espúrios de irmãos submissos, mas ele, o muro, nos mantinha juntos e lutando por ideais críveis, transparentes, honestos, contra eles, como um motivo único. Que muro é esse agora que nos falta, que muro é esse que agora nos cega, humilha, vilipendia, esgota, em nome de uma liberdade sórdida, de serviços públicos suspeitamente sucateados, de ladrão sendo chamado de senhor presidente (o império), de corrupto trocando bombas por óleo. Que mundo livre é esse? Queremos o nosso muro de volta, não os muros das discórdias, das soberbas, das lamentações; de órfãos de Marx e das ruas da amargura. Karl Marx está morto? Viva Karl Marx! Vamos ressuscitá-lo em nós, a partir de nós, ao redor de nós. Nunca se estudou tanto Marx como hoje nas universidades da rica-(impune - até um Tribunal de Haia pro Besta Bush) América Cloaca. Isso quer dizer alguma coisa?

QUEREMOS NOSSO MURO DE VOLTA - Viva o Muro!. Abaixo os que estão em cima dele, passaram por cima dele, ganharam e ganham com a queda dele, proliferando miseráveis. Nem sempre se vê os muros do capitalismo no claro, eles estão desviados, camuflados, corações e mentes com nuvens de cifras. Para muitos de nós, os muros são epidérmicos, sensoriais, têm aromas e arapucas, têm grades e algemas midiáticas, e o gradil ainda dói dentro de nós como um câncer com máscara blasé de Hollywood. Quantos tipos variados de muros permanecem no mundo contemporâneo, após a queda histórica do próprio Muro de Berlim? O filósofo esloveno Slavoj Zizek (Instituto de Sociologia da Universidade de Liubliana) nos diz - nos Anos 90 (Era Clinton) - dos novos Muros que estão surgindo (o inumano e neoliberal império do capitalhordismo americanalhado) e por conseguinte e resultante dos muros entre Israel e a faixa de Gaza, ao redor da União Soviética, ao redor da União Europeia, na fronteira Estados Unidos-México. Vivas ao hitlerismo de Bush? - Ah o sonho de um humanismo de resultados...

Viva Zapata! Os enganados que se moldem.

-0-

Silas Corrêa Leite - Estância Boêmia de Itararé, São Paulo, Brasil
Texto da Série: Ensaios, Panurgismos e Bravatas

-0-

Silas Corrêa Leite, Educador, Jornalista Comunitário e conselheiro diplomado em Direitos Humanos, ciber poeta e livre pensador humanista, começou a escrever aos 16 anos no jornal "O Guarani" de Itararé-SP. Fez Direito e Geografia, é Especialista em Educação (Mackenzie), com extensão universitária em Literatura na Comunicação (ECA), entres outros cursos. Autor entre outros de "Porta-Lapsos", Poemas, Editora All-Print (SP); "Campo de Trigo Com Corvos", Contos premiados, Editora Design (SC), obra finalista do prêmio Telecom, Portugal 2007;  "O Homem Que Virou Cerveja", Crônicas Hilárias de um Poeta Boêmio, livro ganhador do Prêmio Valdeck Almeida de Jesus, Salvador Bahia, 2009, Primus Editorial, SP; GOTO, A Lenda do reino do Barqueiro Noturno do Rio Itararé, Editora Clube de Autores, Romance, 2014, O Menino Que Queria Ser Super-herói, e GUTE GUTE Barriga Experimental de Repertório, Romance Infantojuvenil, ambos a venda no site Amazon, entre outros. Seu e-book de sucesso "O Rinoceronte de Clarice", onze ficções, cada uma com três finais, um feliz, um de tragédia e um terceiro final politicamente incorreto, por ser pioneiro, foi destaque na mídia como O Estadão, Jornal da Tarde, Folha de SP, Diário Popular, Revista Época, Revista Ao Mestre Com Carinho, Revista Kalunga, Revista da Web, Minha Revista (RJ). e também na rede televisiva, Programa "Metrópolis"/TV Cultura; Rede Band/Programa "Momento Cultural"; Rede 21-Programa "Na Berlinda", Programa "Provocações", TV Cultura/Antonio Abujamra. Por ser única no gênero e o primeiro livro interativo da Rede Mundial de Computadores, foi recomendada como leitura obrigatória na matéria "Linguagem Virtual" no Mestrado de "Ciência da Linguagem" da Universidade do Sul de SC. Foi tese de Doutorado na Universidade Federal de Alagoas ("Hipertextualidade, O Livro Depois do Livro"). Texto acadêmico no link: http://bdtd.ufal.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=197. Premiado nos Concursos Paulo Leminski de Contos, Ignácio Loyola Brandão de Contos; Prêmio Biblioteca Mário de Andrade (Poesia Sobre SP/Gestão Marilena Chauí)), Prêmio Literal (Fundação Petrobrás/Curadoria Heloisa Buarque de Hollanda), Prêmio Instituto Piaget (Lisboa, Portugal/Cancioneiro Infanto-Juvenil; Prêmio Elos Clube/Comunidade Lusíada Internacional; Vencedor do Primeiro Salão Nacional de Causos de Pescadores (USP/Parceiros do Tietê), Prêmio Simetria Ficções e Fantástico, Portugal (Microconto). Consta em quase 800 sites como Estadão, Noblat, Correio do Brasil, Usina de Letras, Daniel Pizza, Wikipedia, Observatório de Imprensa, Releituras, Cronópios, Aprendiz, Pedagogo Brasil,  Jornal de Poesia, Convívio e LiberArti, Itália, Storm Magazine e InComunidade (Portugal), Fênix (Angola), Revista Aldéa (Espanha) Literatas (Moçambique), Politica Y Actualidad (Argentina), Poetas del Mundo (Chile), Pravda (Russia) e outros, inclusive na África. Publicado em mais de 100 antologias, até no exterior, como Antologia Multilingue de Letteratura Contemporânea, Trento, Itália; Cristhmas Anthology, Ohio, EUA e na Revista Poesia Sempre/Fundação Bib. Nacional (Ano 2000/Gestão Ivan Junqueira). E-mail: poesilas@terra.com.br

#pravda.ru

Total de visualizações de página